Linha da Vida

Uma antiga máquina de costura à manivela foi a principal lembrança que Maria Doralice de Oliveira, costureira da Liz, herdou da mãe, que faleceu quando ela estava com apenas dois anos. Cresceu assistindo a tia sentada àquela máquina, com as mãos próximas à agulha, pés no pedal e pensava: “Um dia vou costurar também”. Assim tudo começou: primeiro na brincadeira, criando roupinhas com retalhos para a boneca; depois, as próprias roupas. Fez a primeira peça aos 12 anos: uma calcinha. Mudou-se do agreste de Pernambuco para São Paulo ainda adolescente e aos 17 anos trabalhava já como costureira profissional.

Atraiu as irmãs e a sobrinha para essa profissão, que é uma das mais antigas no Brasil e das mais emblemáticas para a conquista da independência feminina. Hoje, de cerca de 1,5 milhão de profissionais que atuam diretamente no setor de vestuário, 75% são mulheres. E a maioria delas é chefe de família! E é entremeando linhas e tecidos que ela faz muito mais do que transformar panos em roupas: criou a filha, Maria Gabriela, que se está formando em Administração de Empresas. Nosso imenso carinho a todas as Marias Doralices que diariamente fazem parte das nossas vidas de maneira tão sutil, mas tão valiosa. Esta é a homenagem Liz para todas essas mulheres fortes, que transformam matéria prima em arte, as costureiras do Brasil.